Fotografia que urge e que emerge, na edição 2021 do Fotógrafos em Ouro Preto

Fotografia que urge e que emerge, na edição 2021 do Fotógrafos em Ouro Preto

  Pela primeira vez realizado totalmente on-line, encontro de fotógrafos contou com o incentivo da Lei Aldir Blanc

Tudo mudou com a pandemia de covid-19. Com a impossibilidade de um evento presencial, como foram todas as edições anteriores, o encontro Fotógrafos em Ouro Preto precisou se reinventar. A edição 2021, ocorrida entre 21 e 23 de maio, foi totalmente on-line. O foco foram os debates em torno de temas da fotografia contemporânea. “Precisamos enaltecer a Lei Aldir Blanc e as proponentes, deputadas Benedita da Silva e Jandira Feghali. O setor da cultura tem sofrido muito, desde antes da pandemia, com cortes de orçamento e de queda brusca de incentivo, e a Lei deu apoio aos trabalhadores e trabalhadoras da área”, afirma Fernanda Tropia, produtora do evento. Mesmo sem o presencial, o evento proporcionou um encontro rico em discussões, permeado pela emoção, e com apontamentos para o futuro. O Fotógrafos em Ouro Preto é realizado por Fernanda Tropia, Laura Godoy, Lucas de Godoy, Luiza Geoffroy, Maria Clara Godoy e Rodolfo Benitez. Todas as atividades podem ser vistas no canal YouTube: http://bit.ly/FotografosEmOuroPreto

 

A emoção do encontro virtual entre pai e filho, Victor de Godoy e Lucas de Godoy, que vivem em Ouro Preto, mas não se encontram desde o início da pandemia, deu o tom da edição 2021 do Fotógrafos em Ouro Preto. O Papo com Foto “Encontro de Gerações” trouxe as histórias de Victor Godoy, permeadas por imagens de moradores de Ouro Preto em tempos diversos. “O que eu penso é que a fotografia mostra de maneira íntima e devastadora a forma como as pessoas envelhecem. Talvez a fotografia seja o inventário da mortalidade”, enfatiza Victor de Godoy, que tem o hábito de fotografar ouro-pretanos pelas ruas e, depois, presenteá-los com a foto impressa. O hábito está hibernando sob o período de pandemia – “Hoje eu flano dentro de casa e na minha janela”, completa – d, mas permitiu que belas imagens de moradores de Ouro Preto, entremeadas por uma deliciosa narrativa sobre a cidade, enternecesse o público que acompanhou o debate, transmitido pelo YouTube.

 

O Coletivo Olho de Vidro, formado em Ouro Preto, também marcou presença no evento, em um Papo com Foto. Formado pelos fotógrafos Eduardo Tropia e Alexandre Martins, o grupo se renova com a presença de novos olhares: Mila Damasceno, Suttane Hoffman e Vinícius Terror. A Coletiva Mamana, formada por fotógrafas brasileiras, trouxe reflexões importantes sobre o papel das mulheres na fotografia, buscando um posicionamento forte, que abre espaço para olhares plurais, inclusivos e contemporâneos.

 

Os fotógrafos Isidora Gajic (Belgrado, Sérvia), Nilmar Lage (Ipatinga, Minas Gerais) e Nilo Biazzetto (Curitiba, Paraná) ofereceram visões diversas sobre os movimentos fotográficos e sobre a inserção do fotógrafo nos acontecimentos das cidades, levando em consideração os estranhamentos, as exclusões sociais, os movimentos fora dos eixos das grandes cidades, e também com técnicas diversas das tradicionais, incluindo os registros por celular, as colagens, o artesanal. O multiartista Julliano Mendes, acompanhado por Henrique Rocha, apresentou a performance “Literatura para dançar”, que une música, instalação e vídeo. Especialmente para o Fotógrafos em Ouro Preto, a performance foi gravada no Parque Estadual do Itacolomi. Para fechar o evento, a tradicional Chuva de Poesia, desenvolvida pelo tipoeta Guilherme Mansur, foi gravada no amanhecer, na Matriz de Nossa Senhora da Conceição. O poeta Mário Alex Rosa e Galileu Edições selecionaram os poemas que deixaram a torre da igreja em direção ao adro.

 

Nos três dias de evento, fotógrafos da nova cena de Ouro Preto e Mariana expuseram seus trabalhos virtualmente, em foto ou vídeo. Foram 29 artistas que trazem novo vigor à arte da fotografia. Ana Elisa Novais, Ane Souz, Carolina Copolli, César Tropia, Domingos Gonzaga, Douglas Aparecido, Elias Figueiredo, Elvis Rodrigues, Fernanda Costa, Fernanda Lina, Gabriela Carvalho, Gabriel Caram, Íris Zanetti, Júlia Arantes, Kalil Félix Pena, Larissa Helena, Leo Gomes, Leonardo Homssi, Leleo Lopes, Luciano Almeida, Márcio Luiz Alves, Mila Damasceno, Naty Torres, Rafael Nolasco, Simone Ribeiro, Suttane Hoffmann, Vinícius Terror, Xisto Siman e Zedu Monte são nascidos em Ouro Preto e Mariana ou escolheram uma das cidades para viver. A expressão pela fotografia permite uma cena variada, com temas e técnicas diversas, fazendo pulsar o registro da vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *